terça-feira, 29 de julho de 2008

O Tempo psicológico e o Tempo Cronológico

É um tema que (acho) todos percebem no quotidiano

(ou é cotidiano??)

É incrivel como ás vezes o tempo passa tão rápido

e em outras

tão de...va...gar...

E o relógio não acelera nem pára.


Segundo Ernesto von Rückert:


Os seres vivos possuem um modo interno de perceber a passagem do tempo e desencadear vários comportamentos, como o ciclo sazonal das plantas e de animais, ou mesmo, os ciclos circadianos de sono e vigília, por exemplo. No caso dos seres conscientes, como os animais superiores (ou dispositivos artificiais que venham a possuí-la) há um outro fator que é a percepção mental interna da passagem do tempo. Essa percepção nem sempre é coincidente com a marcha física do tempo. Isto pode variar de pessoa para pessoa, em função da idade, do estado de espírito ou por ação de drogas. Em geral, à medida que se envelhece, cada ano é uma fração menor da existência, por isso parece um intervalo menor. Outro fator que faz o tempo parecer passar mais depressa é a monotonia. Quanto mais variada for a vivência cotidiana da pessoa mais parece que o tempo demora a passar. Atividades desagradáveis sempre parecem demorar mais que as agradáveis. Mas, tirando essas condições, é notável como a mente tem um cronômetro interno razoavelmente bem calibrado, o que pode ser observado pelo fato comum de pessoas que sempre precisam acordar a uma certa hora, em geral, despertam poucos minutos antes do despertador tocar e o desligam.


Wikipédia:


O tempo é o regulador da vida.
A concepção comum de tempo é indicada por intervalos ou períodos de duração. Por influência de idéias supostamente desenvolvidas pela pedantia de Einstein (teoria da relatividade), tempo vem sendo considerado como uma quarta dimensão do contínuo espaço-tempo do Universo, que possui três dimensões espaciais e uma temporal.
Pode dizer-se que um acontecimento ocorre depois de outro acontecimento. Além disso, pode-se medir o quanto um acontecimento ocorre depois de outro. Esta resposta relativa ao quanto é a quantidade de tempo entre estes dois acontecimentos. A separação dos dois acontecimentos é um intervalo; a quantidade desse intervalo é a duração.
Uma forma de definir depois baseia-se na assumpção de causalidade. O trabalho realizado pela humanidade para aumentar o conhecimento da natureza e das medições do tempo, através de trabalho destinado ao aperfeiçoamento de calendários e relógios, foi um importante motor das descobertas científicas.
As unidades de tempo mais usuais são o dia, dividido em horas e estas, por sua vez, em minutos e estes em segundos. Os múltiplos do dia são a semana, o mês, o ano e este último pode agrupar-se em décadas, séculos e milênios.
Crianças de colo não têm a noção de tempo e adultos com certas doenças neurológicas e ou psiquiátricas podem perdê-la.

Comentários
8 Comentários

8 Comentários. O que VOCÊ acha?:

  1. "O acaso é uma palavra sem sentido. Nada pode existir sem causa."

    ResponderExcluir
  2. "O mundo me intriga. Não posso imaginar que este relógio exista e não haja relojoeiro."

    ResponderExcluir
  3. não falou nada que eu pedi isso e uma merda

    ResponderExcluir
  4. bom mas riuim

    ResponderExcluir
  5. quero saber oq é tempo cronologico?

    ResponderExcluir
  6. Isso nao ajudou em nada grandes coisas

    ResponderExcluir
  7. n ajudou em nada

    ResponderExcluir

Incluir links nos comentários

Fãs