sexta-feira, 12 de março de 2010

Meninas lésbicas não podem ir ao baile colegial juntas. Isso está certo?


Há muitas teorias sobre a evolução da sexualidade humana.
O mundo veio a conhecer o liberalismo feminino apenas há poucas décadas, depois de séculos de proibições eclesiásticas.
E a revolução sexual trouxe consigo também um modo de viver que permite às pessoas poderem ter relações com outras do mesmo sexo (tanto homens como mulheres) sem serem apedrejadas ou obrigadas a ouvirem piadinhas de mal gosto, tendo, inclusive, várias leis anti-preconceito a seu favor.

Junto com o homossexualismo, a opção bissexual tem crescido muito, e muitos pensadores a apontam como orientação sexual mais comum das próximas décadas.
No entanto, notamos que tabus ainda encontram solo nos costumes das pessoas, um dele é o beijo homossexual em público, como no caso das meninas beijoqueiras no carnaval carioca que falamos aqui no blog.


Não se pode negar que a televisão colabora com isso, mas não chega nem perto do fenômeno da internet.
Antes, pessoas com opção sexual proibida em seu meio não tinham como trocar experiências.
Agora, meninas lésbicas podem achar outras meninas que gostam de meninas facilmente pela grande rede.

No entanto, no mundo real (principalmente nas escolas) algumas etiquetas ainda são bem rígidas:

Aluna lésbica pede para levar namorada como par, e escola cancela baile nos EUA
A estudante Constance McMillen, de 18 anos, checa suas redes sociais nesta quinta-feira (11) na escola agrícola do condado de Itawamba, em Fulton, no estado americano do Mississippi. Constance, que é assumidamente lésbica, queria ir ao baile da escola com sua parceira do mesmo sexo, vestindo um terno, mas não teve permissão da escola. O distrito escolar chegou a anunciar a proibição de casais do mesmo sexo na festa. Uma organização pró-direitos civis, a American Civil Liberties Union, apelou ao distrito escolar para que ela pudesse levar a parceira ao baile, mas, na quarta-feira, a escola, sem citar diretamente o caso de Constance, preferiu cancelar a festa, marcada para abril. A organização recorreu a um tribunal distrital em nome da aluna, para garantir a liberdade de expressão dela e realização da festa.

Seria tão estranho assim se a adolescente comparecesse ao baile da escola com a sua namoradinha lésbica?

Comentários
2 Comentários

2 Comentários. O que VOCÊ acha?:

  1. hummmmm ótimo o vídeo ;D

    ResponderExcluir
  2. ...o vídeo dá uma angústia...rsrrs Imagina o desespero para cancelarem o evento! Sacanagem,deixem a gordinha levar a partner dela no baile.

    ResponderExcluir

Incluir links nos comentários

Fãs