sexta-feira, 18 de junho de 2010

A Morte de José Saramago

José Saramago, o imortal.
Morre, aos 87 anos, o escritor português José Saramago
Autor de 'Ensaio sobre a cegueira' era vencedor do Prêmio Nobel.
Nota em seu site fala 'múltipla falha orgânica após prolongada doença'
O escritor português José Saramago morreu aos 87 anos em sua casa em Lanzarote, nas Ilhas Canárias, nesta sexta-feira (18). A informação foi divulgada pela família do escritor de "Ensaio sobre a cegueira" e confirmada em seu site oficial.
"Hoje, sexta-feira, 18 de junho, José Saramago faleceu às 12h30 horas [horário local] na sua residência de Lanzarote, aos 87 anos de idade, em consequência de uma múltipla falha orgânica, após uma prolongada doença.

Se Deus, paraiso e etc existirem, Saramago tá ferrado!
Fica aqui a nossa homenagem a esse grande escritor, blogueiro e pensador que falava a nossa língua e nunca se absteve de sua opinião rebelde e jovial para com este mundo.
Vlw Saramago!

Posts antigos sobre Saramago:
Mamãe, sou um escritor da internet, colega de José Saramago :)
O homem, a máquina de amassar pães e a tradição da crueldade
Fim do Blog de José Saramago - Porque o Caderno Acabou?

Não tenhamos ilusões, a internet não veio para salvar o mundo”.
"Os lugares-comuns, as frases feitas, os bordões, os narizes-de-cera, as sentenças de almanaque, os rifões e provébios, tudo pode aparecer como novidade, a questão está só em saber manejar adequadamente as palavras que estejam antes e depois. "


Comentários
4 Comentários

4 Comentários. O que VOCÊ acha?:

  1. Pena, apesar de ele ser meio metido, eu gosto dos livros e do jeito que ele escrevia.

    ResponderExcluir
  2. Eu sempre quis imitar o jeito metido :/

    ResponderExcluir
  3. Homenagem FAIL no Twitter [...]

    ResponderExcluir
  4. O jornal oficial do Vaticano ataca duramente o escritor português José Saramago. Em artigo publicado na edição deste domingo, o "L´Osservatore Romano" o chama de "ideólogo antirreligioso, um homem e um intelectual que não admitia metafísica alguma, aprisionado até o fim em sua confiança profunda no materialismo histórico, no marxismo".

    No editorial divulgado com antecedência, o "L´Osservatore Romano" considera Saramago "um populista extremista", que se referia "de forma muito cômoda" a "um Deus no qual jamais acreditou, por se considerar todo-poderoso e onisciente".

    ResponderExcluir

Incluir links nos comentários

Fãs