segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Discurso de posse do deputado Tiririca no Congresso Nacional, isso sim é democracia!

Abestados e abestadas...

Sério...
Defender a democracia e criticar a eleição do palhaço Tiririca como deputado federal é uma grande incoerência.
A história recente do Brasil nos faz acender um amor cego pela palavra democracia, como se não houvesse outra maneira de governar exceto a ditadura.
Criticar a democracia é como criticar Deus, e da mesma forma que a maioria das pessoas que não sabem do que estão falando quando falam de Deus, a carga histórica que o termo democracia impõe na mentalidade coletiva é como aquele remédio azedo que nossa mãe nos faz tomar sem dar qualquer chance de fazer uma análise um pouquinho mais criteriosa de porque estamos engolindo aquilo.

Democracia:

Demo = Povo
Cracia = Poder
O Povo no Poder

Isso é democracia: Todo poder ao povo.
Aos garis, aos professores, aos mecânicos, aos metalúrgicos, às prostitutas, aos bicheiros, aos palhaços.

A idéia de democracia é linda, um termo realmente apaixonante, principalmente se você olhar pelo ponto de vista de quem viveu a experiência de ter seus amigos torturados e expulsos do seu país em uma época em que a austeridade imperava e a dignidade humana era vista com indiferença pelos homens que mandavam no Brasil.
A democracia foi um remédio milagroso, estávamos precisando de uma pílula radical que fizesse uma limpa no câncer da arrogância e da estupidez que se enraizava por trás do populismo exacerbado, coisa que vemos hoje acontecer de forma muito patente na Venezuela.

Mas nos viciamos no remédio, não deixamos margem para qualquer tipo de crescimento orgânico baseado na inteligência, como a meritocracia.
A democracia virou um jogo previsível e está sendo maceteada.

Talvez você me chame de preconceituoso, mas eu não acho que o pasteleiro da esquina tenha condições de tornar-se prefeito da cidade, pelo simples fato do que um PREFEITO deve ser um ADMINISTRADOR e ter uma boa noção de assuntos intrínsecos ao cargo que ele deseja exercer, como pavimentação, distribuição de renda, incentivo ao comércio local e outras coisas que somente a boa vontade não resolve.

Sim, podemos ter um metalúrgico como presidente da república, mas você acha que ele tem presteza e conhecimentos técnicos mínimos suficientes para ter uma noção ampla do que acontece em sua gestão?
Tá, ele pode ser bem acessorado, mas na boa, com toda a luta dos caras-pintadas e com os esforços dos movimentos estudantis, o Brasil merece mesmo ser governado por uma acessoria?
A acessória ganha força com o regime democrático, afinal, podemos ter um palhaço profissional discursando na Câmara dos Deputados - com todo respeito aos palhaços.

Eu prefiro quando o Lula os discursos, pelo menos isso nos poupa da vergonha alheia que os seus improvisos inveriavelmente nos provém.
No caso do Tiririca, acho ler talvez seja uma tarefa ainda mais árdua.
Talvez ele decida fazer aquilo que ele sabe de melhor, contar uma piada.


--- Update ---

Entrevista concedida pelo deputado eleito Francisco Everardo, o Tiririca, ao programa Domingo Espetacular da Record:

Tiririca rebate polêmica de ser analfabeto e conta detalhes de sua história de vida




Talvez seja impressão minha, mas invariavelmente eu acho o Paulo Henrique Amorim tão propositalmente  exageradamente caricato o.O
Comentários
3 Comentários

3 Comentários. O que VOCÊ acha?:

  1. Eu acho que esta materia foi comprada(EXISTE ISSO).

    Tiririca deputado federal.. sei la viu..rs..

    Ninguem acreditou né?! ..rs..

    ps.: MANDEI UM EMAIL PARA VOCê!

    Abraço,
    P.A.
    ______________________________________
    http://www.preguicaalheia.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Se foi comprada mesmo sou ainda mais fã do cara!

    ResponderExcluir
  3. VOLTAMOS AO VELHO E BOM DO LEMA DOS CORONÉIS; ESTUDAR PRA QUE! LER O QUE?

    ResponderExcluir

Incluir links nos comentários

Fãs